Publicado por: astromundoacs | fevereiro 7, 2016

A MISSÃO ASTRAL DE AQUÁRIO

A MISSÃO ASTRAL DE AQUÁRIO

Antônio Carlos Scavone

Por simbolizar a LUZ que brilha sobre o Planeta, através  dos mares. Sendo a LUZ sempre brilhante, na escuridão, limpa o que deve ser purificado, até que a obscuridade se desvaneça.

Publicado por: astromundoacs | fevereiro 7, 2016

A MISSÃO TERRENA DE AQUÁRIO

A MISSÃO TERRENA DE AQUÁRIO

Antônio Carlos Scavone

Irrigar constantemente as sementes de consciência espalhadas pelo Planeta, para que o Planeta se eleve a um nível de evolução mais alto.

Publicado por: astromundoacs | janeiro 27, 2016

2016: O PAÍS BRASIL (A VISÃO KÁRMICA)

2016:  O PAÍS BRASIL (A VISÃO KÁRMICA)

                                                                        Antônio Carlos Scavone

O país Brasil, como os outros do planeta, passa, sob a ótica kármica, um duro teste: a transformação alquímica a partir do  ponto mais resistente de seu karma estrutural, para chegar ao dharma.

Nosso Mapa Astral tem uma forte energia fixa que resiste a mudanças, principalmente se for de estrutura. 2016 traz uma oportunidade de crescimento espiritual que só será repetida daqui há um quarto de milênio.

Em nosso Hino Nacional, há um verso que diz: “deitado eternamente em berço esplêndido…” bem significativo. E o Nódulo Lunar Sul (karma a ser transformado agora) junto  com Vênus, no signo de Leão, fala dessa realeza e do Sol (o rei) que a comanda, e no hino: “Fulguras, ó Brasil, florão da América,/Iluminado ao sol do Novo Mundo!” O metal do signo de Leão é o ouro. O Brasil nasce num berço real, onde ficará deitado eternamente. É fulgurante e uma joia rara da América e ainda recebe a Luz do sol do Novo Mundo. Conta com Vênus em Leão, mas é de Virgem, o signo do servidor. O Nódulo Sul mostra o que é trazido no inconsciente coletivo do país. Tanto o Sol, como Vênus, magnetizam o que querem, para si, não correm atrás. E de alguma forma se acomodam nessa posição. Independente da riqueza do reino e dos ciclos de abundância ou carência.

É como se esperássemos que alguma benesse viesse para o cidadão repassada pelo Poder, que garante as suas, primeiro. O paternalismo populista. Já o Governo representado pelo signo de Escorpião, domina 40% do PIB (tudo o que é produzido no país). Um brasileiro, ao nascer, vem com essa carga. Se abrir um negócio terá um sócio voraz e permanente.

Karmicamente, o Brasil precisa sair de Leão e chegar no Aquário. Sair da Monarquia (sinônimo de um poder concentrado) e chegar na Democracia (um poder mais diluído). E enfrentar os privilégios adquiridos, acumulados ao longo do tempo.

Chegaremos em Aquário através de uma sociedade mais justa,  onde a renda das pessoas seja mais equilibrada e elas possam viver com maior dignidade, algo que parece distante agora. Avançamos, nos convencemos e ao mundo, mas era um balão de festa e estorou. Milagre do Marketing.

Nesses períodos de crise, nosso karma com a escravidão emerge. O abolicionista Joaquim Nabuco disse: “A escravidão permanecerá por muito tempo como a característica nacional do Brasil.” Ela está na raiz da forma como o Brasil trata os mais pobres, as periferias, e comunidades, seus hospitais públicos e suas escolas. E suas penitenciárias lotadas.

Quanto a chegada em Aquário, temos um período de 7 anos que se inicia em 2016, no qual a diferença pode ser reduzida com um forte investimento na Educação Básica.

Quanto ao Governo, é um momento de colheita kármica do que foi feito nos últimos catorze anos. Virão à tona todos os frutos, bons ou não.

Um novo ciclo de doze anos, muito propício a negociação de parcerias financeiras, tecnológicas e de obras de infraestrutura, inicia-se. Bom para unir e expandir nosso conhecimento e nossas experiências práticas com as de outros países.

Temos uma missão planetária de nos tornarmos um celeiro do mundo. Nela está subentendida também um dever de preservação do planeta. O desmatamento avança e estamos falhando nesse aspecto. Basta ver a Amazônia. Nesse ano, favorecida, a agricultura poderá ajudar no equilíbrio de nossa Economia, via a exportação.

Somos a pátria que pode abrigar todos os povos. Anterior ao descobrimento viviam muitas tribos nessa região que ainda não era o país Brasil. E nela se falavam dez mil dialetos. Com Ascendente Aquário e com suas dimensões continentais, o Brasil tem vocação para receber diferentes povos e raças e daqui até a Era de Aquário, surgir uma Nova Civilização.

Publicidade
Publicado por: astromundoacs | janeiro 25, 2016

2016: O PAÍS BRASIL

2016: O PAÍS BRASIL

                            Antônio Carlos Scavone

Nesse Ano Civil de 2016, a necessidade de arrumar a casa vinda do ano anterior passou para um segundo plano. Ficou um pesado impasse de uma crise política, tão profunda e extensa que paralisou a administração federal. Tocar em frente o cotidiano administrativo, algo simples, em tempos normais, é agora uma árdua tarefa.

Plutão está trazendo à tona velhas questões centenárias do nosso ainda jovem país que se estendem por regimes e governos, sem encontrar sequer um encaminhamento racional. Elas foram sendo empurradas, como se simplesmente não existissem, e seus efeitos hoje são acumulativos.

Ainda no nível político, tornou-se difícil encontrar um consenso qualquer, mesmo num pequeno partido e impossível, num grande partido. Aliás, temos uma enxurrada de partidos políticos, que torna mais complexo qualquer acordo.

A crise ética continua e novos fatos de corrupção surgem. A Justiça não só através da operação Lava Jato, mas também de seus diversos órgãos tem condenado políticos e pessoas poderosas e recambiado do Exterior, parte do dinheiro desviado.Tem seguido os passos do dinheiro ilícito, a partir dos contratos e licitações onde foi gerado. 2016 favorece a continuação da Lava Jato, apesar da oposição, e trará surpresas entre os novos condenados.

Mas não para de crescer a descoberta de atos de corrupção na administração pública estadual e municipal. Na estadual, envolvendo ex-secretários e ex-governadores. Na municipal, entre jovens prefeitos, desviando fortunas de municípios pobres e ostentando riqueza. Ou de municípios ricos envolvendo órgãos fazendários e fiscalizadores, além dos políticos eleitos. Ou de câmaras de vereadores aumentando os seus salários acima da inflação e da realidade local. Isso demonstra o quanto a corrupção se alastrou e do quanto estava oculta e atuante há muitos anos. Júpiter foca a questão do público e do privado e a interesseira mistura entre as duas esferas. O Brasil está passando a limpo essa questão ética e da Justiça.

O trânsito de Júpiter favorece o aumento da inflação, nesse ano. O poder público gasta mais do que arrecada e continuará gastando. As Eleições Municipais colocarão mais lenha nessa fogueira. O endividamento do setor público e também do cidadão que puder fazê-lo, crescerá. O desemprego, oficialmente, já alcança 1 milhão e meio de pessoas. E a crise econômica, no ano passado, começou a se alastrar pelos Estados, inclusive mais ricos, atingindo a folha de pagamento. O poder público aumentará os impostos em todos os níveis. E apesar da eleição, o choro dos governadores e prefeitos conseguirá o que parecia pouco provável: a volta da CPMF. Prepare o seu bolso!

A força do signo de Escorpião na área do poder do Mapa Astral do Brasil e do seu regente Plutão na área das finanças e das riquezas, fala da elevada carga tributária e do retorno inexistente ao cidadão pagante. E pelo fascínio que sentimos de flertar com o abismo. Nossas metrópoles nos surpreendem pela deterioração de todos os serviços públicos, entre eles os de Saúde e Educação. E nas periferias e no Interior do Brasil, pior ainda.

A cruz fixa do nosso Mapa Astral mostra a nossa potência e o quanto somos ricos! Mas também a nossa incapacidade de resposta rápida às crises, e de nos flexibilizarmos às mudanças. Algumas ideias retrógradas viram dogmas, tal o nosso Nacionalismo dos anos cinquenta, do século passado que travam nosso desenvolvimento. E nos isolam internacionalmente. Estamos nos tornando os campeões das oportunidades perdidas. Antes fosse apenas de uma década perdida.

Publicado por: astromundoacs | janeiro 20, 2016

2016 O PLANETA (A VISÃO KÁRMICA)

2016   O PLANETA  (A VISÃO KÁRMICA)

                                                                               Antônio Carlos Scavone

O ano de 2016 faz que o Planeta se confronte com a impossibilidade de manter determinadas utopias que cultivou com intensidade nos últimos anos, fortalecidas agora pela presença de Netuno em Peixes. Elas se transformaram numa referência do politicamente correto. Mas sempre funcionem como um alimento.para a alma.

A crise econômica de 2008, a mudança no tabuleiro de poder do mundo, seja pela queda do preço do petróleo, ou pela desaceleração da economia chinesa, ampliou a crise, que se estendeu ao momento atual, forçou cortes ou a interrupção de projetos idealistas. Mudou prioridades, os discursos nem tanto.

A sociedade mundial, pelos princípios da Era de Aquário (em instalação, pois demorará ainda uns 400 anos) ensaiava um mundo de fronteiras mais abertas, mais justo, com oportunidade iguais para todos, o que se mostrou um sonho. Urano em Áries entrou com o anúncio de que somos 7 bilhões de pessoas no planeta e que o indivíduo terá de assimilar essa realidade. Impossível ecologicamente, todos os habitantes do Planeta viverem igual aos países do primeiro mundo. Em 2016, confirmou-se o aumento da desigualdade econômica no Planeta: 62 indivíduos concentram a fortuna equivalente a metade dos habitantes, ou seja, 3 bilhões e 500 milhões de pessoas.

De um lado Plutão desestrutura o status quo do poder mundial. De outro obriga que ele se restruture, por puro instinto de sobrevivência. O fator Urano mostra outro tipo de inimigo atacando o sistema. Há uma desorganização militar organizada. Multifacetada. Atuando sincronicamente ou não no planeta inteiro. E um exército de lobos solitários muito ativo. E motivações variadas, mas tão radicais, que parecem não ter nenhuma lógica. Guerras como a da Síria e os vários conflitos de origem nacionalista, tribal e religiosa que destruíram muitas cidades e arruinaram muitos países, no Oriente Médio, mostram a complexa multiplicidade de grupos combatentes e dos apoios que recebem de países ricos. O Terrorismo virou um enigma.

O Mundo Ocidental e os países mais desenvolvidos confrontam-se com a consequência que eles próprios criaram, através da questão dos refugiados. Banidos dos seus lares, expulsos de sua pátria pela necessidade de sobrevivência ou por algozes invasores, batem à porta dos países ricos, os senhores das guerras do Planeta. Centenas de anos de dominação colonialista, direta ou indiretamente, trazem agora uma crise humanitária. Por mais organizados sejam, não absorvem abruptamente milhares de refugiados, desse deslocamento bíblico. A cobertura da mídia constrangeu os países mais liberais e democráticos a adotarem medidas mais humanitárias. E a se comprometerem pelo discurso. Tal não ocorreu com os países mais autoritários.

O momento é muito favorável a acordos internacionais e o acordo com o Irã mostra isso. Descontado é lógico o teatro implícito na diplomacia. Até mesmo quem não faz acordo (Coréia do Norte) precisa ter “acordos” que desenham o limite real de suas ações.

Karmicamente haverá vários tipos de tragédias coletivas naturais ou causadas pela humanidade que abrirão a consciência planetária para essa transformação. Mas não esqueçamos, o Planeta tem o livre arbítrio para escolher. E até o fim da Era de Aquário, daqui há 2.500 anos, evoluiremos.

« Newer Posts - Older Posts »

Categorias