Publicado por: astromundoacs | novembro 26, 2012

DEZEMBRO: SAGITÁRIO E SUA ETERNA BUSCA DE PERFEIÇÃO

DEZEMBRO: SAGITÁRIO E SUA ETERNA BUSCA DE PERFEIÇÃO

                                                                                                                                                                                                                 Antônio Carlos Scavone

Sagitário é o nono signo do zodíaco. Sua luta é re­presentada pela busca de superação da matéria a fim de alcançar a meta da elevação do espíri­to. Essa se torna, então, sua única e grande meta e a partir dela persegue incan­savelmente a verdade. Muita concentração, auto­controle e força de expan­são serão necessários.

A Mitologia

O misterioso centauro, figura mitológica, metade cavalo, metade homem, constitui-se no grande mito do Sagitário. Simboliza uma divisão enorme entre o lado inferior e o supe­rior que lhe di­lacera interiormente. Nem sempre consegue sua superação, mas não deixa de atirar suas flechas, além do horizonte e perseguir os al­vos, em rápido galope. O cenário do cami­nho fascina-o mais que o al­vo a ser atingido. Daí muitas vezes se perde até sur­gir uma meta mais nova e atrativa. O que lhe interessa é o desafio do alvo e a fascinação da jor­nada. O objetivo, em si, não é tão significativo. O prazer da busca e sua aventura é o que importa. Mas existe muita tensão em seu arco. Dentre os centauros, Quíron tem um lugar de desta­que, por sua grande sabedo­ria e por ter um status divi­no. Senhor das plantas e da Alquimia conhecia a magia e a sabedoria da natureza. Sábio, professor e filósofo, fazia seus alunos pensarem, conhecia como ninguém a origem animal dos homens e sentia-se profundamente triste por suas próprias contradições. Apesar de curador, nunca conseguiu cicatrizar uma ferida em sua própria per­na e eliminar sua dor. Esse fato lhe deu uma grande compaixão pela dor e sofrimento dos humanos.  Júpiter, o grande Zeus da mitologia, é o planeta regente de Sagitário. Através dele, podemos entender melhor este signo. Sendo o deus supremo do Olimpo, é um ator nato e também um grande con­quistador, sempre perse­guindo ninfas e musas, embora não seja guiado por uma paixão insaciável, é o ideal que o motiva, a possi­bilidade de algo novo e des­conhecido, um alvo inatin­gível e que lhe escapa das mãos. Os sagitarianos têm esta propensão jupiteriana de não perder nada, seja is­to um projeto, uma pessoa, uma idéia, um novo traba­lho criativo, qualquer meta virtualmente nova e inexplorada. Os mais extrover­tidos estão sempre presen­tes em vernissages, inau­gurações, mostras inéditas de filmes, lançamentos de livros, porque tem um fa­ro intuitivo de tudo aquilo que poderá se tomar um sucesso antes que os outros percebam. Os tipos mais introvertidos, não estão nos lugares públicos, mas estarão sempre descobrindo os novos livros, as novas filo­sofias, os novos filmes e fe­nômenos culturais. É o mesmo faro agindo de forma mais interiorizada. A palavra jovem vem de Júpiter. O sagitariano é jo­vial. No Olimpo, a morada dos deuses, Júpiter era o juiz. O sagitariano se inclina à jus­tiça.  Na forma positiva, compreende sua variedade e aceita as pessoas como são.

Vivências Sagitarianas

Podem se expressar de vá­rias maneiras. Uma das mais fortes é o amor à aventura, tão forte na criança interior que habita cada um de nós. A crença  que o novo horizonte será me­lhor. A atração pelo desco­nhecido e o risco andam de mãos dadas e Júpiter gosta de conferir sua sorte, pe­rante o perigo. Outra vivência tipica­mente sagitariana é o lidar com a verdade, a necessi­dade de colocá-la para fora doa a quem doer. A certeza de que sozinha ela pode bri­lhar. Embora desde cedo aprendemos a tratá-la de forma polida e diplomática e acabamos falseando-a. A mentira tem uma grande força no jogo de interesses do mundo. A luta contra ela é uma das maiores tarefas humanas. Outra das vivências sagitarianas: assumir o Dom Quixote que existe em cada um de nós. O entusiasmo ingênuo e juvenil por uma causa leva o homem a lutar por idéias e visões utópicas, ou por causas perdidas ou aspirações impossíveis, que num futuro, hoje cada vez mais próximo, serão realidade. Todas es­sas vivências têm em co­mum o fato de despertar o jovem que existe em cada um de nós. Por isso nos re­vitalizam. Aumentam nos­sa vontade de viver, nosso entusiasmo e otimismo. Dão-nos mais audácia e nos impulsionam para o progresso e para novos horizontes.

Desafios de Sagitário

O sagitariano tem, também, os seus desafios. Talvez o maior, será o de saber an­dar na terra, com mais atenção, sem olhar tanto para as estrelas. É forte sua tendência de querer alcançar o infinito sem ter vivido o finito. Assim, afasta-se do aqui e agora e pode gerar grandes dificuldades para conviver com a realidade que vive.  Outro desafio é a ten­dência de, na busca da ver­dade, abraçar alguma ver­dade como a única. Isso le­va ao fanatismo e dogma­tismo. Bem sabemos na História Humana, o quanto tem sido catastrófico o saldo dos dog­mas. Na Ciência, na Religião ou na Filosofia, presenciamos muitas mortes, perse­guições, guerras, genocídios. Onde a brutalidade humana foi legalizada e recebeu a indulgência pro­porcional ao tamanho da barbárie cometida. A tole­rância ideológica e o simples ato de ouvir as ideias dos ou­tros, é fundamental para que amplie a sua visão de mundo. Outro desa­fio do sagitariano é o seu otimismo exagerado que, às vezes, o leva a rom­pantes de prepotência e precipitação. Aceitar a hu­mildade e a paciência é muito difícil. Tende em apostar na sua vitória, mes­mo se tudo indicar­ uma derrota. A certeza de que “vai dar certo” tem o seu lado positivo, porém cega o sagitariano quanto à reali­dade dos fatos. O que pode levá-lo a profundas frus­trações. Sua envol­vente paixão dificulta um enxergar objetivo. O Sagitário com sua vi­são e intuição entra em contato com os grandes mistérios da natureza, pos­sui um senso profundo que a vida é significativa, que o homem é divino, que todas as coisas têm um propósito e trazem lições para o cres­cimento. Mas a distância entre a sua visão da luz e as limitações do ser humano é muito ampla. A realidade tangível e a vida material são sempre imperfeitas, se comparadas com a sua visão.

Esta é a verdadeira feri­da aberta de Sagitário. E o sagitariano que tiver a coragem para encarar sua visão de luz e a realidade de sua vi­da, certamente terá grande sucesso. Este será o ver­dadeiro curador-ferido, porque aprendeu a compai­xão (qualidade que falta aos tipos mais primitivos). Será também possuidor de um dos mais profundos se­gredos da vida e da nature­za humana: a dualidade do ser divino e do animal (que subjaz em todos nós) final­mente encontrando sua in­tegração e unidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: